segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Não Tenha Vergonha de Quem Você é!



Durante milênios o homem foi seu próprio lobo, caçando o diferente, maltratando, humilhando e repudiando os de sua mesma raça por pequenas coisas que podem ser insignificantes para quaisquer outros animais, mas por que isso?

Hoje eu estava vendo um vídeo antigo, que por algum motivo não vi na época, mas esse vídeo me deu um estalo, o vídeo é de um discurso da atriz Ellen Page quando ela assume para o mundo que é gay. Em determinado momento do discurso ela diz as seguintes palavras:

“Amar outras pessoas começa em amar e aceitar a nós mesmos.”

Podemos considerar então que todo esse ódio contra as pessoas que não são iguais a maioria vem da simples incapacidade de amar e respeitar a si mesmo? Provavelmente, afinal quando uma pessoa encontra outro grupo que vive de um modo que questione a sua religião, por exemplo, isso abala tudo o que ela acreditou durante sua vida inteira, ela se torna incapaz de se compreender, afinal se aquilo era “mentira” o que mais pode ser mentira, por isso é muito mais simples afastar o que difere do que mudar o que está errado. 

Quando lidamos com a ignorância a nossa maior dificuldade é sobreviver, quando temos de encarar o mundo sozinhos e nos erguer, dizer “Estamos aqui, nós existimos, nós todos vamos viver e seremos felizes”, porque na realidade quando o mundo olha para o diferente um já é demais, se existe uma família negra – Nesse filme só tem negros!, quando existe um casal gay – Nesse filme só tem gay, e por aí vai, vocês, eu, nós vamos ter que aprender a sobreviver a cada um desses comentários, independente de quem os faça, infelizmente é comum que esses comentários venham de familiares a quem nós costumávamos recorrer em tempos de dificuldade e agora nos repudiam, mas se matar não é a saída, temos que provar que nascemos, crescemos e seremos felizes, independente de quem ache feio, imoral ou qualquer coisa do tipo, se nós dermos o braço a torcer estaremos matando muitos jovens que nesse momento estão sofrendo abusos físicos e morais por conta de sua aparência, por conta de sua cor, por conta de sua condição sexual ou então pela sua identidade de gênero, não podemos tolerar mais mortes. 

Hoje em dia o ataque não é feito apenas com bastões de baiseball e lâmpadas fluorescentes, nossos agressores destroem nosso emocional completamente, deixam nossa autoestima abaixo da linha da miséria, fazem com que nós acreditemos que estamos fazendo mal para o mundo e então eles param, o trabalho deles já está feito, alguém que não acredita na sua própria capacidade não tem objetivo de vida, apenas assistem a nossa morte para poderem dizer que sentem muito, mas sabiam que essa gente não tem um bom futuro, mas não falam que quem destruiu nossa vida foram eles que nos atacam que dizem que somos anormais, aberrações, marginais, eles não lembram que quando pedimos apenas por respeito eles disseram que jamais nos aceitariam na sociedade deles, afinal eles são a maioria, eles mandam em quem vive e quem morre, não é? 

Sinceramente eu não sei por quanto tempo nós vamos sobreviver, mas só de ter chegado aqui e ter dito quem eu sou para aqueles a quem eu mais amava e ter suportado todo o desprezo em cada frase eu posso ter o gosto de dizer que eu lutei e espero que um dia meu ato limpe a ignorância de alguém e salve uma criança.