segunda-feira, 23 de maio de 2016

Por que os bodes são associados ao diabo?



A figura do bode é atualmente considerada como uma das manifestações do diabo, segundo alguns religiosos modernos como pastores, alguns padres, e seus seguidores, o bode representa o diabo por causa da inveja, sendo que Jesus é representado por um carneiro, então o diabo com inveja veio e passou a usar o bode como figura de sua manifestação e alvo de seus sacrifícios. 

Mas, até aonde eu sei, a imagem do carneiro é associada a Jesus por diversas vezes durante a bíblia, no entanto, o diabo em nenhum momento é associado ao bode, menos ainda os bodes são associados a quaisquer seres malignos. A única associação de uma figura antropomórfica da bíblia aos bodes seriam os sátiros, apresentados na bíblia em Levítico, e Isaías, onde aparecem como seres que adoram Lilith, na única menção desse demônio na bíblia moderna. 

Porém, em diversas outras culturas norte europeias, ou norte americanas, o bode era por diversas vezes considerado como um símbolo sagrado e digno de adoração, isso se dava provavelmente pelo fato de ser uma criatura que resiste bem ao frio e não consome tanto quanto o gado. Podemos ver em diversos outros povos o costume de louvar a fonte de seus alimentos, e até mesmo criar deuses para eles, não é de se surpreender dado a grande quantidade de deuses pagãos da colheita. 

Um desses deuses bode, representante da masculinidade, da caça, da fertilidade, e das colheitas era conhecido como Cernunnos, um dos deuses celtas mais adorados pelos pagãos da América do Norte pré-colonial. Quando os europeus chegaram à América e encontraram outros deuses, que não eram cristãos, começaram então a condenar de bruxaria os seus associados, e como as religiões pré coloniais eram “liberais demais” para os cristãos, não foi difícil associá-los com o diabo, um exemplo dos costumes libertinos dos pagãos era, por exemplo, dançar nus nas florestas e praticarem orgias nas primaveras, ato visto como pecaminoso pelos cristãos.


Quando a igreja se sentiu ameaçada em perder seus fieis para as religiões nativas da América, condenou com a morte a bruxaria, e ofereceu a catequização para os nativos, como gesto de misericórdia. Os nativos que relutaram em abandonar seus costumes, dentre esses costumes estava a comemoração do Yule, feriado pagão que comemorava a morte do deus chifrudo e a espera pelo seu renascimento no ventre da deusa mãe, Diana. Visto que mesmo os europeus estavam se agradando do feriado, os padres foram forçados a mudar, e então passaram a chamar o famoso Yule de Natal, nascimento de Cristo, que no hemisfério norte coincidentemente ocorre durante o inverno. 

Durante esse período negro na história, tão negro que foi batizado de era das trevas, a igreja convocou sua espada, um grupo de soldados, nomeados templários, que fariam justiça em nome de deus, ou ao menos o que a igreja considerava justo, durante a era dos templários eles eram encarregados de caçar e matar bruxas e hereges, ou qualquer pessoa que se pusesse contra a igreja. 

Não existe documentos acessíveis que possam ser usados como base certa para o que levou o fim dos templários, mas a história mais conhecida é que após algum tempo das cruzadas os templários começaram a se agradar com o deus pagão, provávelmente Cernunnos, e começaram a cultuá-lo com um nome à parte do que os nativos conheciam, inclusive o colocaram remotamente ligado a bíblia, esse novo deus era chamado pelos templários de Baphomet, mas logo que a igreja soube da perversão de seus soldados os próprios padres os julgaram como hereges e os condenaram a morte. 


A figura de Baphomet foi então desligada de sua relação com a magia e a colheita e associada com Azazel um demônio babilônico antigo, que já era bem conhecido aos cristãos, associaram inclusive Baphomet com sacrifícios humanos e pedofilia, que ironicamente pouco mais de um milênio depois seria um dos maiores problemas da igreja católica. 

Por fim, a imagem do bode passou a ser repudiada por todos os cristãos como uma manifestação indigna de satanás, que nada mais queria que apenas copiar o todo poderoso cordeiro de deus. Mas, para a infelicidade da igreja, o culto ao deus chifrudo ainda vive em algumas religiões, como a Wicca e outras variantes do Neo Paganismo.