sexta-feira, 6 de maio de 2016

X-Men não é apenas ficção!



Os filmes da Marvel ultimamente têm feito sucesso nas telas de cinema no mundo inteiro, inclusive no Brasil, o próximo filme a ser estreado será X Men – Apocalipse, que será lançado ainda esse ano e trouxe a tona mais uma vez os personagens dessas histórias para serem debates em rodas de amigos. X Men conta a história de jovens dotados de super poderes que são excluídos, de certa forma, da sociedade e são acolhidos pelo, também mutante, Professor Xavier. 

É provável que os mais jovens, pessoas que nasceram depois dos anos 90, tenham começado a ter esse amor pelos X-men com “X-Men: Evolution”, desenho animado que passava, e eventualmente é reprisado, no SBT, pelo horário da manhã. Nesse desenho, dentre vários personagens reacionários, um se destacou mais que os outros:

Robert Kelly: Robert é o segundo diretor do colégio onde os X-Men estudam, entrando para o cargo logo após a saída da Mística, a maior característica do personagem é o seu ódio por todos os mutantes considerando-os perigosos para as pessoas normais. Creio que todas as pessoas que assistiram X-Men na sua infância odiavam esse homem. 

Na animação, praticamente ninguém, além dos próprios X-Men e alguns amigos, é a favor da “Causa mutante”, o papel de Kelly fica em destacar e trazer esse medo e ódio à tona. Como podemos ver no “Episódio 33 – Opinião Geral” onde o diretor quer remover o direito de mutantes frequentarem escolas públicas, acusando-os de ser uma ameaça para os filhos das pessoas de bem. 

Se você não encontrou nenhuma semelhança dessas histórias com a sua vida real, pode ser que você esteja um pouco desligado dos assuntos políticos, afinal, todos os dias várias minorias são atacadas dessa mesma maneira. 

Podemos ver que a situação no nosso país é séria quando, futuro candidato a presidência da república, em 2018, faz declarações como essa: Em resposta a atriz Ellen Page, Jair Bolsonaro disse a seguinte frase:


"Quando seu filho é violento, tem que dar um corretivo nele, e ele deixa de ser violento. Por que o contrário não vale?", ressaltou ainda Bolsonaro. "Com todo o respeito, você foge à normalidade, beira à teoria do absurdo. Você e a sua companheira não geram filhos. Você depende de nós, héteros, homens"

Esse é só um exemplo da postura de um de nossos políticos em relação a uma de nossas minorias, o mais triste é ver esse discurso sendo apoiado por pessoas, que assim como eu, defenderam uma minoria, mesmo que fictícia, na nossa infância. 

O discurso do Diretor Kelly e do Deputado Jair Bolsonaro são muito parecidos, a única diferença é o alvo, ambos consideram determinado grupo de pessoas como “perigo” para as pessoas de bem e seus filhos, mesmo que esse grupo não represente ameaça alguma. 

Creio que desde o início a ideia dos X-Men tenha sido de mostrar para as pessoas o quanto o preconceito e o pré julgamento é perigoso, infelizmente o ódio por diversas vezes fala mais alto e não somo capazes de ver as pessoas aplicando essas ideias no seu dia a dia.